O lado obscuro da publicidade

Olá pessoas! Após uma pausa no blog, retorno com um assunto um tanto polêmico, resolvi falar sobre o lado obscuro da publicidade com base em algumas pesquisas que fiz ultimamente sobre divulgação de produtos e mensagens subliminares, porém o que vou falar não tem nada a ver com "mensagens subliminares", pelo menos eu acho que não.

Hoje, a caminho do trabalho, prestava atenção no radialista engrandecendo a campanha de troca de geladeiras que a concessionária de energia elétrica do Ceará (COELCE) faz já algum tempo, porém, como sou sabedora do assunto (tanto da campanha quanto dos assuntos desta agência) sei que a publicidade que é feito em torno desta campanha deixa muito a desejar, com relação à informação de como a troca da campanha procede.

Quando ela é anunciada, a própria divulgação incita o ouvinte a concluir que a campanha é baseada em troca, a todo e qualquer morador que abranja a área que a campanha estará sendo aplicada, no entanto não é assim que procede. A Coelce disponibiliza um número "X" de geladeiras à Associação do referido bairro e este, após uma palestra que o representante da Coelce ministra na reunião organizada pela Associação, por fim sorteia entre os ouvintes presentes.

Claro, que todas essas regras não dá pra ser explicada em um spot de 15 ou 30 segundos, mas também não vamos suprimir informações que podem, sim, ser inseridas.

E por falar em informações, alguém notou o aumento (de novo) na tarifa de energia?

Enfim, é muito raro postar algo que soe como crítica social neste blog, mas quando o assunto me cabe e a causa é gritante, acho muito justo postar por aqui...

Exercer cidadania é isso: fazer valer, por meios óbvios, o seu direito e o direito dos outros.

E quando algo me incomoda, eu falo mesmo! O ser humano tem mania de criticar algo que apenas o atinge em seu meio, mas também temos que nos exercitar em falar por aqueles que não tem nem o mínimo de instrução para perceber esses detalhes obscuros que acompanham a publicidade.

Quem quiser conhecer o site da concessionária COELCE (clica aí) e sua reguladora estadual ARCE e a reguladora nacional ANEEL

E nunca esqueçam, todas essas empresas (governamentais ou não) tem um departamento chamado OUVIDORIA que, por incrível que pareça, realmente funciona! Então, se tem problemas com alguma coisa e a central de atendimento não consegue resolver, faz um e-mail bem carinhoso (ou carta mesmo!) e envia para a Ouvidoria da referida empresa e a mesma carta/e-mail para a agência reguladora dela. Aí vocês vão comprovar do que estou falando, seu problema é resolvido e ainda chegam brindes e cartas de desculpas.

Depois que aprendi este caminho (long time ago) nunca mais fiquei com nada engasgado, sem fazer prestar meus direitos. Agora, é importante que vocês tenham (todos os milhões) os números de protocolos que eles te fazem anotar!

3 comentários:

SOS DIREITOS HUMANOS disse...

DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA



"As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
têm direito inalienável à Verdade, Memória,
História e Justiça!" Otoniel Ajala Dourado



O MASSACRE DELETADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA


No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi a CHACINA praticada pelo Exército e Polícia Militar em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do SÍTIO DA SANTA CRUZ DO DESERTO ou SÍTIO CALDEIRÃO, cujo líder religioso era o beato "JOSÉ LOURENÇO GOMES DA SILVA", paraibano negro de Pilões de Dentro, seguidor do padre CÍCERO ROMÃO BATISTA, encarados como “socialistas periculosos”.



O CRIME DE LESA HUMANIDADE


O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.


A AÇÃO CIVIL PÚBLICA PROPOSTA PELA SOS DIREITOS HUMANOS


Como o crime praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é IMPRESCRITÍVEL conforme legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza - CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo: a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas, c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira, d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos



A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO


A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.



RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5


A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;



A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA


A SOS DIREITOS HUMANOS, como os familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.


QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA


A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes do "GEOPARK ARARIPE" mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?



A COMISSÃO DA VERDADE


A SOS DIREITOS HUMANOS busca apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, e pede que o internauta divulgue a notícia em seu blog/site, bem como a envie para seus representantes no Legislativo, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal a localização da COVA COLETIVA das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.


Paz e Solidariedade,



Dr. Otoniel Ajala Dourado
OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
Presidente da SOS - DIREITOS HUMANOS
Editor-Chefe da Revista SOS DIREITOS HUMANOS
Membro da CDAA da OAB/CE
www.sosdireitoshumanos.org.br
sosdireitoshumanos@ig.com.br
http://twitter.com/REVISTASOSDH

Monik Barros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Monik Barros disse...

Amiga,na minha concepção a publicidade não tem lado obscuro, agora já não digo o mesmo sobre os
os profissionais* sem carater e ética que agem de má fé, esses sim são obscuros e medíocres!
Ps. Se consumidor é induzido ao erro e sente lesado com determinado anuncio de caráter enganoso e abusivo ainda que não desejado pelo anunciante, ele pode correr atrás de seus direitos, entrando em contato com os órgãos competentes. Defesa do consumidor (Procon) e com Conar (Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária)O CONAR é a instituição que fiscaliza a ética da propaganda comercial veiculada no Brasil, norteando-se pelas disposições contidas no Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária.
A partir das denuncias dos consumidores o conar verifica e abre processo contra o anúncio veiculado na Tv. fazendo com que o anunciante e agencia responsável se retratem em relação a campanha tirando-a do ar. As recomendações do conar são sempre acatadas pelas agencias de comunicação. Procedente a denúncia, o CONAR recomenda aos veículos de comunicação a suspensão da exibição da peça ou sugere correções à propaganda.
Já o Procon elabora um auto de infração contra a empresa, e estabelece data limite para que ela possa se defender. No final do processo a empresa ainda pode receber multa com valor estipulado pela Secretaria Municipal de Defesa do Consumidor, como também responderá judicialmente perante o consumidor.

Os próprios consumidores devem saber quais são os seus direitos para fazer valer. O Conar é apenas um órgão como tantos os outros e precisa da ajuda de todos, por isso denuncie!
Com milhares e milhares de campanhas lançadas na mídia todos os dias, demora um pouco para eles fiscalizarem as campanhas que estão ilegais. Por isso antes de pré-julgarmos negativamente, devemos ter paciência para que determinado anuncio saia do ar.

PARA MAIORES INFORMAÇÕES ENTRE EM CONTATO COM O PROCON FORTALEZA.

Endereço: Rua Major Facundo, 869 - Centro
Atendimento: de segunda à sexta-feira, a partir das 8 horas, com distribuição de senhas até às 14 horas.
Informações pelo telefone 151.

Amiga, mil beijokinhas!!